Tutoriais‎ > ‎Ferramentas‎ > ‎

Hyper-V

postado em 9 de mar de 2014 14:58 por Prof. Rodrigo Costa   [ 22 de mar de 2014 04:17 atualizado‎(s)‎ ]
Atualmente, o poder computacional dos computadores pessoais é bastante elevado. Por causa disto, os desktops e notebooks são suficientemente poderosas para possibilitar a execução de vários sistemas completos (programas básicos e programas aplicativos) sob um único hardware físico, ou seja, podem processar não somente o seu sistema operacional, mas também hospedar outras máquinas virtuais com diferentes Sistemas Operacionais.

Existem diversos fabricantes de sistemas de virtualização para computadores servidores e desktop. Para desktop, as soluções mais conhecidas são o Virtualbox da Oracle e o Vmware Workstation. Em termos de servidores, segundo o quadrante mágico da virtualização, as soluções da Microsoft (Hyper-V) e da VMWare (ExSI) são as soluções mais utilizadas.

Inicialmente, o Hyper-v era uma função (Role) do Windows Server 2008 que fornece uma interface para gerenciamento de máquinas virtuais. Dependendo do tipo de licença do Windows Server, o usuário poderia hospedar de 2 até um número ilimitado de máquinas Windows Server com uma só licença. 

A partir do Windows 8, o Hyper-V foi incorporado como um recurso do sistema para desktop nas versões Professional e Enterprise. Contudo, antes de poder ativar este recurso de virtualização nativo do Windows 8, o usuário deve verificar se o seu sistema atende os seguintes requisitos.
  • Versão 64 bits do Windows 8 Professional ou Enterprise
  • 4 GB de memória RAM
  • Processador com suporte de virtualização de 2º Nível 
  • Recurso de virtualização ativado.
Um diferencial do Hyper-V é que ele roda em background, assim, o usuário pode inicializar uma MV e deixá-la rodando no plano de fundo. Neste tutorial, é apresentado um passo a passo para ativar o recurso e um passo a passo com recomendações para a criação de máquinas virtuais.


1. Ativando o Hyper-V no Windows 8.

Para ativar o recurso, o usuário deve realizar a seguinte sequência de ações:
- Pressionar o botão windows > digitar "Recursos do Windows" > Clicar em configurações > Clicar em Recursos do Windows, conforme mostrado na figura a seguir:
- Marcar para a instalação dos recursos do Hyper-V. > Clicar em OK


A plataforma Hyper-V é o recurso de Virtualização em SI enquanto que as Ferramentas para gerenciamento do Hyper-v permitem apenas a interface com o usuário. Com as configurações corretas na máquina local e em máquinas remotas, é possível administrar o recurso Hyper-V de outras máquinas, sejam elas Windows 8 ou Windows Server 2012.

Depois disto, o Hyper-V está disponível e pode ser acessado através do menu Iniciar. 

 

Ao clicar no Gerenciador do Hyper-V a janela de gerenciamento é mostrada e as principais funcionalidades são apresentadas na figura a seguir:



2. Criando Máquinas Virtuais

Antes de criar as máquinas virtuais, deve-se tomar a precaução de configurar perfis de adaptadores de rede virtuais. Após realizar este procedimento, pode-se criar as máquinas virtuais.

2.1. Configurando o comutador virtual


O Hyper-V relaiza a conexão de rede das máquinas virtuais com três tipos de switchs (comutadores) virtuais. Basicamente, o usuário configura o tipo de comutação a ser realizada e 
o hyper-v conecta a máquina virtual neste Switch. Os três tipos de comutadores virtuais disponíveis no Hyper-v são:



Privado
Este comutador se destina a prover conectividade exclusiva entre máquinas virtuais. 

Interno
Este tipo de comutador permite conectividade das máquinas convidadas com apenas a máquina hospedeira. 

Externo
Este tipo de comutador permite o compartilhamento de uma interface de rede da máquina hospedeira com suas clientes. Este tipo de configuração é o ideal quando é desejável acessar recursos disponíveis na máquina virtual através de estações da rede local.


Para configurar os comutadores virtuais disponíveis em seu hyper-v, com a interface do hyper-v aberta, o usuário deve clicar em Gerenciador do comutador virtual.
  1. Clicar em Gerenciar comutador virtual
  2. Clicar Novo Comutador de rede virtual
  3. Escolher o tipo de comutador de sua preferência
  4. Clicar em Criar comutador virtual 
  5. Para concluir, clique em ok para voltar a tela de gerenciamento do hyper-V.
Para gerenciar um comutador virtual previamente clicado, basta clicar sobre o nome do comutador virtual e os detalhes de configuração são apresentados. A interface é muito simples, permite alterar o tipo, renomear o comutador.

Observações

1. Em redes externas, o usuário deve escolher qual interface de rede será compartilhada entre o hospedeiro e suas máquinas virtuais.
2. Ao desmarcar a opção "Permitir que o sistema operacional de gerenciamento compartilhe este adaptador de rede", o usuário faz com que a interface de rede se torne exclusiva para as máquinas virtuais. Desta forma, o hospedeiro perde o acesso a interface.
3. É possível criar uma rede do tipo NAT utilizando um comutador interno e compartilhando a conexão da internet de uma interface de rede com a interface lógica do computador hospedeiro. Contudo, ao utilizar esta forma, as máquinas virtuais tem acesso a internet mas os computadores da rede não tem acesso as máquinas virtuais.
4. Ao utilizar interfaces de rede sem fio, o comutador virtual não se comporta muito bem para máquinas virtuais linux. Muitas vezes a máquina virtual não consegue obter IPs através de DHCP. Recomenda-se fortemente o uso de endereçamento estático nas máquinas virtuais linux quando utiliza-se comutadores virtuais sem fio.


2.2 Criando Máquinas Virtuais

Com o comutador virtual criado, a criação de máquinas virtuais se torna extremamente simples. Na interface de gerenciamento, o usuário deve realizar as seguintes instruções (imagens mostradas a baixo das instruções)
  1. Na área de ações sobre o hospedeiro, o usuário deve clicar em novo > máquina virtual. Na primeira interface, o usuário deve ler as recomendações básicas e clicar em avançar.
  2. Logo em seguida, o usuário insere o nome da máquina virtual e também pode escolher o local de armazenamento da máquina virtual.
  3. Depois disso, o usuário escolhe a quantidade de memória RAM usada pela MV. Um diferencial positivo do Hyper-V é que ele permite que a MV utilize memória Virtual, assim, caso o hospedeiro fique com pouca memória RAM disponível, a máquina não para de funcionar, apenas funcionará mais lentamente por utilizar a memória virtual
  4. Selecionar o comutador virtual a ser utilizado pela máquina virtual.
  5. Seleciona o local e o tamanho do disco rígido.
  6. Especificar a forma de realização de boot e pressionar concluir
 


Criando MVs no Hyper-V


Depois disso, a máquina está pronta para ser iniciada. Basta clicar com o botão direito e em seguida clicar em inicializar. Para ter acesso ao teclado, mouse e monitor da MV o usuário deve clicar em conectar ou dar dois cliques sobre o nome da máquina.

Um bom exercício é instalar o Windows XP na máquina virtual. Um bom tutorial está disponível em http://galisteobio.blogspot.com.br/2010/09/veja-como-instalar-o-windows-xp.html

OBS: Recomendações para instalação do Windows XP

  1. Crie sempre duas partições, uma para o sistema e outra para os dados do usuário
  2. Na primeira tela da interface gráfica o usuário deve escolher o teclado correto. Por exemplo, a maior parte dos teclados no brasil é ABNT2 e deve-se clicar em detalhes para inserir este layout de teclado.
  3. Após inserir o layout correto, recomenda-se remover todos os layouts que não são utilizados para evitar que por algum comando de teclado ou preferência de aplicação que alterne o layout de teclado.
  4. Na tela que solicita-se a senha de administrador, deve-se inserir uma senha pois o usuario administrador ele só não aparece para login, mas pressinando cltrl + alt + del na tela de boas vindas, abre-se uma janela que permite o login através do nome do usuário.

Instalacao do Windows XP

Instalacao do Ubuntu


Comments